clique aqui e receba as atualizações do blog em seu email


INÍCIO AS PALAVRAS MUSICADAS AS OUTRAS PALAVRAS ATIVIDADE DIGITAL CONTATO


Publicações mais lidas no Blog do Alex Pinheiro:

domingo, 8 de novembro de 2009

excerto I

Observou parado, e por um tempo imensurável, o cachorro magro e manquitola que atravessou sem olhar e foi marcando de sangue o caminho. O semáforo, que já executara seu ciclo duas vezes desde que ele escolhera parar seu tempo, assistia, com desdém, o pobre cruzar a rua. Era um rastro vermelho claro que ora era largo, ora era fino quase nada, e essa irregularidade revelava a sinfonia escrita nas pupilas de Edgar. Uma composição suave e perturbadora. Uma sucessão de reveses desde o grito, resposta rápida da amídala. Uma euforia que cobrara todos os centavos. Então ali, olhando dezenas de cores barulhentas passarem, tudo foi acinzentando como os discos de cores do arco íris quando girados em velocidade; coisa do Newton, e da infância distante. Depois ficou branco. Num branco que era possível descansar as pálpebras e sorrir só com os lábios Edgar caiu frouxo.
música: Moonlight Sonata [Resident Evil (Beethoven)]
.
Alex Pinheiro


3 comentários:

  1. um quadro popular, o vermelho é a cor mais usada nessa arte. Belo conto!

    ResponderExcluir
  2. Muito estranho ler esse conto, no exato momento em que estava eu, assustada com acontecimentos de acidentes!
    Porém mais assustado que isso é prever acontecimentos!
    Mas diferente do conto, tudo está bem!

    ...pobre Edgar...
    não teve a mesma sorte que meus amigos!

    ResponderExcluir

a imagem-título é uma invenção de Mariah

 
Google Analytics Alternative