clique aqui e receba as atualizações do blog em seu email


INÍCIO AS PALAVRAS MUSICADAS AS OUTRAS PALAVRAS ATIVIDADE DIGITAL CONTATO


Publicações mais lidas no Blog do Alex Pinheiro:

terça-feira, 22 de abril de 2008

Um Dia de Glória

Glória guardava sua luva
já suja
Dum sujo vermelho
de um vermelho sujo
Úmido e aguado
Coloração amarga
das guerras mal amadas

Glória guardava sua luva
Numa caixa escura
em um armário sujo
De manchado mogno
Dum mogno manchado
Envelhecido e sombrio
Arranjo medonho
de feiras de antiguidade

Glória já voltara tarde,
no entardecer dum dia,
Duma de suas noites frias
Havia apunhalado a vida
e encaixotado o óbvio

Glória usava vestido longo
Já velho
Dum velho verde
de um verde velho
Caindo aos ombros
Uma seda fina
que findava no ventre
E inspirava uma mulher doce
mas doce algum Glória trazia no ventre

Glória guardava coisas
das coisas como elas são
Guardava devoção inútil
Guardava compromisso fiel
Glória guardava mágoas,
Guardava tempo perdido,
Guardava tampas de vidro,
Guardava versos antigos,
Guardava potes de margarina.
E de guardar coisas
Glória esqueceu de se guardar.
.
música: Opening (Vangelis)
.
Alex Pinheiro

16 comentários:

  1. e passou a vida aguardando, Glória.
    beijos na alma

    ResponderExcluir
  2. nao se guardou, e aguarda dias melhores.

    e a Glória, José?

    []´s

    ResponderExcluir
  3. Acho que sou um pouquinho Glória...

    beijos daqui...

    ResponderExcluir
  4. Me agrada muito esse tango a que obrigas as adjetivações, a se torcerem conduzidas por substantivos de postura e desenvoltura impecáveis.

    DESTACO:
    "Havia apunhalado a vida
    e encaixotado o óbvio"


    abraço

    ResponderExcluir
  5. Adorei essa Glória cheia de glórias.
    vai no http://miniminimos.blogspot.com/
    faz play e assiste ao bailadO
    bjs
    a.

    ResponderExcluir
  6. Pobre Glória esquecida de si.
    bjs

    ResponderExcluir
  7. A gente também faz isso, né? Eu faço...

    Beijos.

    (Ficou legal minha foto lá em cima!)

    Mais beijos.

    ResponderExcluir
  8. Gostei, me remeteu ao poema "guardar" do Antonio Cícero.
    abraços
    Rubens

    ResponderExcluir
  9. Guardou tanta coisa e esqueceu do principal.

    ResponderExcluir
  10. Apaixonante Glória!
    Quantas sutileza, minúcias clareando os pormenores mais evidentes, tão belos!
    Maravilhoso, poeta!

    ResponderExcluir
  11. , deve ser interessante o "arranjo medonho de feiras de antiguidade" que glória guardava também. glórias à glória!
    , abraços meus.

    ResponderExcluir
  12. Jana:
    Não pode! Mas esquece... rs

    Cecília Braga:
    Ainda tem vida, mas agora só sobrevive...

    Múcio L Góes:
    Aguarda com a boca cheia d'água... Salivando saudade...
    Bem isso, Múcio...

    Camilinha:
    NÃO SEJA!!!! rs

    nj.marabuto:
    Valeu a letra! Gosto disso aí, seja lá o que isso seja! rs

    * hemisfério norte:
    Eu diria cheia de existência e sedenta por glórias,,, rs

    Clítia:
    Pobre, pobre, pobre...
    Estás aqui por acaso, mas concebida com boas vindas...
    Obrigado a visita!

    Juliana Caribé:
    Ruim isso, porém fazemos sim...
    Foto conectiva com o momento complexo e seco... Você fez nessa imagem o que quis fazer nas palavras... Obrigado!

    Carolina:
    A você, então! rs

    Rubens da Cunha:
    E aquele guarda,,, só que com a letra rebuscada e direta... Gosto também.

    Pedro:
    do principal, Pedro,,, do principal...
    Seja bem vindo por aqui... deixo respostas, sempre!

    Clóvis:
    Obrigado,,, fiz por gostar inda mais da personagem Glória depois da fina observação soprada por ti... Valeu!

    Pedro Pan:
    Tem aroma,,, aquele que remete ao que já passou... Não sei,,,, mas a mim me sai ruim,,,
    Abraços, poeta ausente! rs

    Obrigado a todos que semearam a letra, por aqui! Valeu!

    ResponderExcluir
  13. ...E de tanto guardar, acabamos guardando nossa vida num armário...


    Adorei,Parabéns

    Beijos, Pri

    ResponderExcluir

a imagem-título é uma invenção de Mariah

 
Google Analytics Alternative